"Só não se perca ao entrar no meu infinito particular"



Prazer, Lu.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Um espaço de liberdade

Tenho certo fascínio pelo desconhecido, muitas vezes ele até mete medo, mas eu adoro imaginar o que está por trás das aparências, vislumbrar, sonhar, enfrentar, fazer interrogações das quais não preciso de respostas, me bastam os delírios.

Gosto do meu refúgio, da minha particularidade, de ouvir minhas músicas, organizar minhas prateleiras, as idéias. Todo mundo precisa de alguns momentos em que o relógio é esquecido, em que observar a chuva caindo lá fora traz aconchego para alma, correr os olhos pela janela e contemplar o nada ou o alheio também nos enche de vida. Mas o que me faz viva mesmo é a urgência, o caos do dia-a-dia, a movimentação, a disputa contra o tempo, as pessoas e a diversidade, as histórias, o criativo, o diferente, o velho, o novo, observar às transformações, até mesmo as tragédias, as perdas, elas me fazem valorizar ainda mais a vida. É, eu gosto de gente, dos detalhes, do conteúdo, espiar o outro, analisar... e para esse tipo de observação demanda tempo e eu dispenso a pressa. Hoje cedo eu me peguei fitando as pessoas que transitam lá embaixo, na rua, os gestos, os passos, algumas falavam ou cantavam sozinhas, os ritmos eram diferentes, a moda, o destino, o objetivo, tinha quem achava graça da chuva e quem se irritava com ela, eu tentava observar até mesmo o que não fora exposto. Minha imaginação me levou para o trabalho de alguns, para os compromissos de outros, para a varanda do apartamento ao lado, foi quando observei que também estava sendo espiada, deve ser do ser humano essa necessidade de conhecer um pouco mais da vida alheia, vi que buscavam detalhes em mim e que eu não sou a única curiosa. Estimule também a sua imaginação, estudiosos dizem que a nossa faculdade imaginativa pode ter-se enfraquecido pela inação. Pode ser revivida e alertada pelo uso. Essa faculdade não morre, embora se torne entorpecida por falta de uso. A imaginação é um espaço de liberdade e de decolagem em direção ao possível. Acho que enquanto imaginamos é porque desconhecemos, muitas vezes quando conhecemos nos decepcionamos. Quer saber, prefiro imaginar. Façamos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário