"Só não se perca ao entrar no meu infinito particular"



Prazer, Lu.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Uma memória e um presente

Hoje eu não vi um passarinho verde, nem cor de rosa ou de qualquer cor que seja sinônimo de felicidade. Hoje eu não estou de aniversário, não recebi a resposta positiva de nenhum exame (seja de saúde ou profissional), eu também nem ganhei na Mega-Sena, nunca vou ganhar, não jogo. Não conheci o Brad Pitt ali na esquina, nem mesmo reencontrei meu avô Bastião. E o Teddy? Não, nem mesmo ele.
Eu ficarei imensamente feliz nessas situações, umas mais outras nem tanto, mas hoje minha felicidade deriva de algo que conta bancária nenhuma pode custear. Um email, exatamente! Uma recordação de quando eu estava iniciando minha trajetória profissional, de um período que eu aprendi muito, um aprendizado que carrego sempre comigo, seja no trato com as pessoas, o convívio no ambiente de trabalho, seja para ser um bom profissional, ou o melhor que eu puder ser. O que me surpreendeu mais, foi que esse presente não foi do meu melhor amigo, não de alguém que eu tenho uma relação próxima, que mantenho contato regularmente. Trata de alguém que após esses 15 anos poucas foram as oportunidades que tivemos de nos reencontrar, para exemplificar - veja só:  nos últimos três anos, estivemos juntos por  duas vezes; Uma pizza e um café. Eu realmente não encontro palavras para responder, para agradecer, para demonstrar o orgulho e a tamanha felicidade.
Resumindo, eu só posso dizer: "Se eu soubesse antes o que sei agora, faria tudo exatamente igual".

Nenhum comentário:

Postar um comentário