"Só não se perca ao entrar no meu infinito particular"



Prazer, Lu.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Alô Tio Patinhas

Antes mesmo de conhecer a música, eu já sabia: Sábado à noite tudo pode mudar. Estou sendo redundante, mas é necessário: sou da noite, bicho solto! E sabe por que insisto? Por que as maiores proezas que a vida poderia me reservar, se revelaram ao calar, cantar e dançar da noite. Inclusive, boas amizades.

Há quem acredite que somente é possível construir uma amizade após muitos anos de convivência e proximidade contínua. Eu discordo, pois tenho coleções de amigos. Relações que foram construídas das formas mais distintas e até bizarras, possíveis e inesquecíveis. Elas não exigiram tempo, profundidade e proximidade, mas sim, reciprocidade de caráter. E asseguro, não são passageiras.

Certa vez uma amiga me presenteou com um “troféu”, nele dizia o seguinte: Quem tem um amigo, tem um tesouro. Eu sou rica! Pois bem, eu também. 

Segundo filósofos, a amizade é uma virtude extremamente necessária a vida. O conhecimento de uma a outra pessoa que desejam entre si reciprocamente o bem, é a condição básica para se constituir uma relação de amizade. Além de condições específicas como: o tempo, a intimidade, a confiança, a cumplicidade, o amparo, o caráter, o gosto e objetivos em comum, requisitos essenciais para que se torne uma relação invulnerável, verdadeira e perene.

A partir desse liquidificador de sentidos e sentimentos, misturados e não triturados, surge à verdadeira amizade. Como define Aristóteles – “a boa”, pois além desta, existe a agradável e também a útil. Eu já provei das três. Mas, apenas a boa merece atenção e dedicação do meu tempo. É ela quem torna a vida indiscutivelmente preciosa.
Diferente dos meus muitos sábados, hoje, foi dia de ficar em casa. E porque não saber como estão os amigos distantes?! Obrigada facebook, pela noite agradabilíssima. Regressei a janeiro de 2011, Espírito Santo, sábado à noite, amigos e uma mesa de bar. Lembro-me que era aniversário de uma xará, que até aquele dia, desconhecia. Ela tinha tudo para ser à inconveniente da noite, por ocupar a mesa que a mim foi reservada. Bendito seja o destino, os sábados, a noite, a nossa Trilha, aquela mesa.

Sei que este não é um privilégio meu, penso que outras tantas amizades assim iniciaram, neste texto eu fiz referência a um caso particular, pois eu precisa compartilhar o que me fez rabiscar essas mal traçadas linhas. No facebook: de Lu para Lu: O melhor é poder contar com uma amiga que mal conheci, mas somos afinadas como cordas de um violão...independentes, solitárias, e juntas soa uma música que qualquer artista gostaria de cantar.

Eu também precisava desabafar: alô Tio Patinhas, minha fortuna é indiscutivelmente superior a sua, morra de inveja!   ;)

Um comentário:

  1. simplismente....artista,linda, arrasou amiga!!!!
    amei o post,amei a oportunidade em ser citada em suas palavras tão doces e juntas tenho a total certeza de que ainda seremos assunto pra inumeros textos...
    bj no coração!

    ResponderExcluir