"Só não se perca ao entrar no meu infinito particular"



Prazer, Lu.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Justamente por ser diferente!

10 de novembro de 2010


Ontem me dei por conta de como é excitante a sala de espera de um consultório médico, não falo da especialidade, afinal, algumas podem oferecer ambientes sugestivos, tão pouco, por ter alguma tara por médicos. Acontece que entre “Cláudias, Novas, Criativas” e tantas outras revistas ali dispostas, percebi que a grande maioria é direcionada para o universo feminino e que por sinal, abusam do assunto sexo. Compartilham experiências, dão dicas e tratam de curiosidades que todas nós temos. Mas, especialmente ontem o assunto que chamou atenção me instigando, transcende o desejo. Com o título “Nem toda mudança é para o bem” o consultor de carreira, que falava sobre experiência profissional, iniciou seu texto com um conto que foi inevitável não associa-lo a nós mulheres e a atual forma com que as pessoas encaram os relacionamentos.

Dizia ele que, o famoso guru indiano Osho certa vez contou que todo ano ocorria em sua cidade natal um concurso para premiar o dono da rosa mais linda. Praça sempre lotada e flores vibrantes, mas sempre, um militar aposentado que levava o prêmio. Seguido por Osho certo dia, após a festa, o velinho desvendou o segredo da rosa sempre tão bela. Como é possível perguntou o guru? Simples. Os outros deixam todos os botões crescerem e depois colhem o mais bonito. Eu faço o contrário. Escolho o mais bonito e corto todos os outros. Desta forma a seiva que alimenta a planta não precisa se dividir, vai toda para uma única rosa.

O autor usou este exemplo para relacionar aos cuidados que devemos ter com nossa trajetória profissional como se fosse uma rosa promissora. Virando a página, o assunto era a proximidade do verão. Corpos dourados, malhados e suados, ardentes e despidos, agora a leitura começa a esquentar tal qual a estação. Fala de relacionamos, envolvimentos efêmeros, na verdade sem comprometimento. Neste momento me recordei de meu amigo Ricardo Kahey, falando excitado: “Vem chegando o verão”, como um detento que se vê próximo da liberdade. Estranho! Ele não usa algemas, nem coleira, nem aliança ou qualquer coisa do gênero. Fico confusa, por que deseja com tanta empolgação a estação da diversão, dos sem compromissos, do vale tudo e do vale nigth?

Não precisei pensar muito para entender. Ricardo não está sozinho, ele e mais uma porção de gente, não conhece o segredo da rosa. Vejam, não é diferente entre nós, em nossos relacionamentos. Se elegermos um único alguém para cuidar e nos dedicar, é possível construir um caminho rumo ao topo, uma vida feliz, para tanto, exige-se comprometimento.

Agora sim, Ricardo está sozinho. Ele ainda não encontrou alguém que mereça meticuloso cuidado. Isso não me espanta, afinal vivemos na era em que conta-se em mesa de bar as bocas que se beijaram na noite anterior. Há quem julgue isso como moderno, outros como falta de coragem. Afinal é preciso ter coragem para comprometer-se.

Como uma pessoa tão moderna e diferente em pleno século XXI, quando ninguém é de ninguém e trocar de parceiro é estar na moda consegue estar casada há tanto tempo? Perguntaram à cantora Rita Lee certo dia: “Justamente por ser diferente!” respondeu.

Concluindo querido amigo, seja diferente você também, arrisque-se, pode ser mais excitante que ficar à espera do ciclo das estações.

2 comentários:

  1. RICARDO KAHEY17 novembro, 2010

    LULU MINHA IRMÃ GAUCHA,,, O TEXTO É MEU E SÓ MEU, RSRSRS... CADA DIA ME DEIXA MAIS "BOBO" COM SUA CRIATIVIDADE E O JEITO INTELIGENTE E FÁCIL DE ESCREVER. OBRIGADO PELO CARINHO E POR TER CEDIDO MINUTOS PRECIOSOS PARA ESCREVER PARA MIM. CADA DIA QUE PASSA MORA MAIS NO MEU CORAÇÃO E TENHO CERTEZA QUE SABE O TANTO QUE GOSTO DE VOCÊ E O TANTO QUE EU GOSTO DE TE PROTEJER...BJS MINHA POKEMON!!!

    ResponderExcluir
  2. Só vc mesmo Rica! rsrs
    Obrigada por ter me protegido dos assaltantes hoje, já estava o cheque especial, imagina se eles me pegam?! rsrs

    Com carinho e afeto!

    ResponderExcluir